Newsletter


Receba nossas novidades.
Cadastre seu email.


Consulta Boa Vista SCPC (Serviço Central de Proteção ao Crédito)



Mérito Lojista 2019


Parada Natalina 2018


Novo Programa Emergencial de Manutenção do Emprego e da Renda é instituído

28/04/2021

Comunicação CDL Itajubá

O Presidente da República editou medida provisória que institui o Novo Programa Emergencial de Manutenção do Emprego e da Renda, que traz medidas trabalhistas para o enfrentamento da emergência em saúde pública em razão da Covid-19. Os objetivos são de preservar o emprego e a renda, garantir a continuidade das atividades empresariais e a manutenção da renda do trabalhador e reduzir o impacto social diante da paralisação de atividades e restrição de mobilidade em todo o País.

O programa institui o novo Benefício Emergencial de Manutenção do Emprego e da Renda (BEm), que será pago pela União nas hipóteses de suspensão temporária do contrato de trabalho ou redução proporcional de jornada de trabalho e de salário. O benefício, a ser pago mensalmente, tem como referência a parcela do seguro desemprego. As medidas se assemelham ao Programa editado em 2020, fruto da MP 936, convertida na Lei nº 14.020.

De acordo com a medida, o novo BEm será pago ao empregado nas hipóteses de suspensão ou redução da jornada de trabalho, independentemente do cumprimento de período aquisitivo, do tempo de vínculo empregatício ou do número de salários recebidos. Além disso, não impedirá a concessão ou alterará o valor do seguro desemprego a que o empregado vier a ter direito, quando atendidos os requisitos previstos legalmente, no momento de eventual dispensa.

A MP prevê a possibilidade de redução da jornada de trabalho e do salário dos empregados e suspensão temporária dos contratos de trabalho, cumulada com o pagamento do benefício, por até 120 dias. Alguns requisitos devem ser observados, como a preservação do salário/hora de trabalho, a pactuação de acordo individual escrito entre empregador e empregado e a redução da jornada de trabalho e salário nos percentuais de 25%, 50% ou 70%. Durante esse período, o empregador poderá acordar com seus empregados reduzir proporcionalmente a jornada de trabalho e o salário de seus empregados por até 120 dias.

trabalhador será garantido o pagamento, nesse período de redução do BEm, aplicando ao valor previsto pelo seguro desemprego o mesmo percentual da redução da jornada de trabalho. Também está prevista a possibilidade de suspensão temporária do contrato de trabalho pelo prazo máximo de 120 dias. A suspensão deverá ser formalizada por meio de acordo escrito, de forma que, durante o período de suspensão contratual, o empregado faça jus a todos os benefícios que vierem a ser concedidos pelo empregador.

Em todos os casos fica reconhecida a garantia provisória no emprego durante o período acordado e após o reestabelecimento da jornada ou encerramento da suspensão, por igual período.

Saiba como aderir ao programa: https://servicos.mte.gov.br/bem/

 

Fonte: CDL Itajubá / Sebrae MG


Voltar

Movimento lojista em todo Brasil

Federação das Câmaras de Dirigentes Lojistas de Minas Gerais - FCDL-MG
Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas

CDL Itajubá

Praça Wenceslau Bráz, 42
Centro Itajubá-MG
Tel:(35) 3622-3511/3622-3905

Redes Sociais

Facebook
Twitter